Curitiba moderniza sistema de gestão de trânsito

42
Avenida Visconde de Guarapuava
Avenida Visconde de Guarapuava, em Curitiba (Foto: José Fernando Ogura/Agência de Notícias do Paraná)
Publicidade

Curitiba vai atualizar o sistema utilizado para a gestão do trânsito. Para melhorar a segurança viária e pública, serão monitoradas com radar eletrônico 804 faixas de trânsito em pontos estratégicos da cidade, o equivalente a 191 locais com equipamentos a serem instalados.

A modernização dos radares de velocidade é um dos pilares que integra o programa da Muralha Digital.

“A tecnologia do sistema e dos novos equipamentos é uma ferramenta a mais no combate a diversas modalidades criminosas, podendo intensificar e proporcionar mais agilidade nas ações desenvolvidas pelas polícias e pela Guarda Municipal”, destaca o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos.

Publicidade

Com a fiscalização eletrônica, grande parte dos nossos equipamentos conterá um software de segurança que permitirá traçar possíveis rotas de veículos suspeitos.

“Poderemos identificar e traçar padrões de comportamento de todos os veículos que transitarem em vias monitoradas por equipamentos de fiscalização eletronica”, explica o secretário.

Tecnologia

A tecnologia de todos os novos equipamentos passa a ser no modelo mais atual: não intrusiva (por ondas doppler). É diferente do método pelo qual funcionam os radares instalados há mais de dez anos na cidade, ativados por laços magnéticos, o que causa uma maior interferência no pavimento.

A mudança proporciona uma maior cobertura dos veículos em cada faixa de trânsito, além de maior facilidade e rapidez no remanejamento e na manutenção do dispositivo eletrônico.

A superintendente de Trânsito, Rosângela Battistella, ressalta a relevância desse sistema de radares para inibir infrações de trânsito e reduzir o risco de tragédias.

A cada vez que temos um acidente grave envolvendo abuso do motorista em exceder a velocidade ou em avançar o sinal vermelho, aumenta a cobrança da sociedade sobre uma maior atuação do poder público. Os equipamentos de fiscalização eletrônica cumprem esse papel”, pontua ela.

Instalação prevista e novos contratos

Com os consórcios vencedores da licitação, a Superintendência de Trânsito (Setran) está fazendo o levantamento de cruzamentos e trechos previstos para instalação dos radares. A infraestrutura para os novos equipamentos que compõem o sistema de trânsito começa a ser instalada nas próximas semanas.

“A próxima fase é a elaboração do projeto executivo pelas empresas, que deve ser aprovado pela Defesa e Trânsito. E, na sequência, começa então a migração para o novo sistema com a instalação concreta dos equipamentos”, explica a superintendente.

Vencedores do certame, que foi dividido em dois lotes, o Consórcio Monitora Curitiba (empresa líder Velsis e consorciada Dataprom) e o Consórcio das Araucárias (empresa líder Perkons e consorciada Fiscal Tech) são os responsáveis pela implantação e manutenção de todo o sistema, que substituirá os atuais radares instalados nas vias da cidade.

O projeto tem apoio técnico do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), laboratório com expertise contratado para fazer os testes de campo, e da Superintendência de Tecnologia da Informação (SIT) da Prefeitura para os testes de software. Além disso, a Viação Glória cedeu um ônibus para os testes de campo.

Contrato

O novo contrato para a gestão do trânsito na cidade é válido por 30 meses, podendo ser prorrogável por igual período. A licitação foi retomada em agosto de 2020, oito meses após decisão do Tribunal de Contas do Estado determinando a suspensão temporária do processo.

Lançado inicialmente em dezembro de 2019, o edital para contratação do serviço teve representação de empresas participantes do processo e foi suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado durante aquele mês. A autorização para continuidade do processo licitatório foi anunciada pelo Tribunal de Contas do Estado no dia 15 de julho de 2020.

Como funciona

O novo sistema de gestão do trânsito é dividido em dois lotes (um para a região sul e outro para a região norte da cidade), cada um com monitoramento de 402 faixas de trânsito. O lote I ficará sob responsabilidade do Consórcio das Araucárias e o lote II do Consórcio Monitora Curitiba.

Estão previstos dois tipos de equipamento, a depender do local a serem implantados: um deles contém apenas a funcionalidade metrológica para fiscalização de excesso de velocidade permitida e outro que, além dessa função, contempla avanço de sinal, parada sobre a faixa de pedestre, conversão ou retorno proibidos, tráfego em faixa exclusiva para ônibus e deixar de conservar o veículo em faixa a ele destinada.

Tripé da segurança

O programa Muralha Digital, lançado pela Prefeitura de Curitiba, é composto de um tripé entre o sistema de monitoramento do poder público, câmeras privadas e radares. O videomonitoramento da cidade inclui equipamentos com reconhecimento facial, panorâmicas e térmicas que já começaram a ser instalados em pontos estratégicos.

O compartilhamento de imagens de empresas da iniciativa particular e cidadãos que tenham esse interesse está previsto na lei municipal de videomonitoramento número 15.405 de 2019.

A Muralha Digital é inspirada em grandes cidades que já têm esse método funcionando, como Jerusalém, Tel Aviv, Chicago e Barcelona.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui