Estações-tubo Dom Pedro I e José Bettega voltarão a receber passageiros

99
Foto: Pedro Ribas/Secretaria Municipal de Comunicação Social
Publicidade

As obras nas estações-tubo Dom Pedro I e José Bettega foram concluídas nesta sexta-feira, dia 10 de setembro de 2021 e, a partir da próxima semana, os passageiros voltarão a utilizar os pontos de paradas localizados na Avenida República Argentina, no bairro Água Verde, e na Avenida Winston Churchill, no Capão Raso. Os locais só irão passar por limpeza antes de voltarem a operar. Os serviços – agora terminados – integram o conjunto de intervenções coordenadas pela Secretaria Municipal de Obras Públicas para permitir que o Ligeirão Norte-Sul tenha seu itinerário completo entre os terminais Santa Cândida e Pinheirinho.

Ao longo do trecho onde as obras estão em execução, entre a Praça do Japão e o Terminal Pinheirinho, são 26 estações-tubo que estão sendo remodeladas e desalinhadas. As obras possibilitarão ultrapassagens entre os ônibus e a conclusão do roteiro do Ligeirão tornará a viagem mais ágil em cerca de 16 minutos, de acordo com estimativas da Urbanização de Curitiba (Urbs), empresa responsável pela gestão do sistema de transporte coletivo da capital paranaense.

Além das estações-tubo Dom Pedro I – que voltará a funcionar na segunda-feira, dia 13 de setembro – e José Bettega – que será reaberta até a próxima quinta-feira, dia 16 de setembro, outros quatro pontos de parada de ônibus já foram entregues. Eles se chamam Ouro Verde e ficam na Avenida Winston Churchill, no bairro Capão Raso, e Morretes, que está localizado na Avenida República Argentina, na região do Colégio Estadual Pedro Macedo, no bairro Portão.

Publicidade

A conclusão de parte de engenharia civil das obras das estações Dom Pedro I foi vistoriada nesta sexta-feira, dia 13 de setembro, pelo prefeito Rafael Greca, pelo secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues, pelo diretor de Operações da Urbanização de Curitiba, Aldemar Venâncio Martins Neto, pelo administrador da Regional Portão e Fazendinha, Gerson Gunha, e pelo vereador e presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Tico Kuzma.

“Estamos superando a Praça do Japão e avançando em direção ao Portão, ao Capão Raso e ao Pinheirinho com as obras de extensão do eixo do Ligeirão Norte-Sul. As intervenções qualificarão ainda mais o nosso sistema de transporte coletivo”, disse Rafael Greca.

De acordo com o diretor de Operações da Urbanização de Curitiba, a média total de passageiros em dias úteis que circulam pelas estações Dom Pedro I é de 1.889 pessoas que vão com destino ao Centro e outras 2.219 que têm como destino o bairro. Aldemar Venâncio Martins Neto aponta que o local é ponto de parada das linhas 203 Santa Cândida – Capão Raso e 603 Pinheirinho – Rui Barbosa.

Já pela estação José Bettega, que é atendida pelas linhas 603 Pinheirinho – Rui Barbosa, 502 Circular Sul (sentido horário) e 602 Circular Sul (sentido anti-horário), são 662 passageiros sentido Centro e 333 no sentido Bairro.

Porém, o futuro Ligeirão Santa Cândida – Pinheirinho não fará paradas nas estações Dom Pedro I e José Bettega. As obras são necessárias, justamente, para que o Ligeirão realize a ultrapassagem quando os ônibus das outras linhas estão parados na estação.

Conforme explica o secretário Rodrigo Rodrigues, a execução das intervenções segue sendo feita de forma escalonada para não prejudicar os passageiros. Enquanto uma estação é fechada para ser remodelada, desalinhada e o pavimento alargado e requalificado, a estação subsequente permanece funcionando normalmente.

“Da maneira como planejamos a execução das obras nesse eixo de cerca de 7 quilômetros, o menor impacto possível é gerado para as pessoas que usam o transporte coletivo. Lembro também que os serviços incluem a parte de pavimentação das pistas lentas – além da canaleta exclusiva dos ônibus – e implantação de novo calçamento, novo sistema de iluminação e paisagismo”, explicou Rodrigo Rodrigues.

Dom Pedro I Verde
Foto: Pedro Ribas/Secretaria Municipal de Comunicação Social

Pavimento, calçada e ciclofaixa

Divididas em três lotes ao longo das avenidas República Argentina e Winston Churchill, as intervenções são executadas pela empresa Betacem e o consórcio Compasa – BR Infra Construções, vencedores da licitação que soma R$ 29,4 milhões. O objetivo é desalinhar as estações, implantar novo pavimento e novas calçadas e, em conjunto com a nova estrutura de transporte coletivo, também serão feitas ciclofaixas ao longo do eixo estrutural.

Para a operação da linha direta de biarticulados estão neste momento em obras as estações-tubo Silva Jardim, Carlos Dietzsch, Vital Brasil e Hospital do Trabalhador no eixo da Avenida República Argentina.

Enquanto o trabalho ainda estiver em andamento, os ônibus estão fazendo o desvio pela pista lenta do eixo estrutural.

Segundo dados da Urbanização de Curitiba, pelo eixo Norte-Sul são transportados diariamente 350 mil passageiros. Durante a pandemia do novo coronavírus, esse número chegou a registrar uma queda de 44%.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui