Em 11 dias, governo estadual confirma mais de R$ 50 milhões em obras na Região Metropolitana de Curitiba

166
Foto: Geraldo Bubniak/AEN
Publicidade

Pavimentação, regularização fundiária, terminal de transporte urbano, duplicação de rodovia, ponte e trincheira. Entre obras, projetos e ações, o Governo do Estado do Paraná confirmou, em apenas 11 dias, investimento superior a R$ 50 milhões em seis cidades da Região Metropolitana de Curitiba. Os benefícios impactam diretamente uma população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 657.729 pessoas, moradores de São José dos Pinhais, Piraquara, Campina Grande do Sul, Almirante Tamandaré, Mandirituba e Piên.

“É nosso dever, como Estado, pensar em um planejamento único para a Grande Curitiba. A região tem quase 4 milhões de habitantes, que moram em uma cidade, mas trabalham em outra e precisam usar serviços de um terceiro município. O planejamento do governo busca equiparar o desenvolvimento e melhorar a qualidade de vida das pessoas de uma maneira uniforme”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Júnior. “A tecnologia nos permite isso e ajuda a avançar, por isso a integração da região é um caminho sem volta”.

O governador destacou que o pacote inclui investimento direto em obras de mobilidade rodoviária, de expansão dos serviços de saúde e melhoria do transporte público. “Estamos falando dos projetos mais recentes. Mas no mês passado, por exemplo, inauguramos a Delegacia Cidadã de Almirante Tamandaré. Um investimento de R$ 4,6 milhões que terá um impacto imenso para a segurança pública”, disse.

Publicidade

Além disso, o governo estadual está destravando projetos antigos, iniciados em outras gestões, ainda da época da Copa do Mundo no Brasil, em 2014. É o caso da ponte sobre o Rio Iguaçu na continuação da Avenida Senador Salgado Filho, em São José dos Pinhais. A Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) entregou a nova conexão com Curitiba na última quinta-feira, dia 16 de setembro, com investimento de R$ 1,8 milhão.

Foto: Divulgação/Comec

Também em São José dos Pinhais e também chancelada como legado do Mundial, a trincheira da Rua Arapongas, no cruzamento com a Avenida das Torres, ficou pronta no dia 13 de setembro – estava paralisada desde 2016, quando a empresa responsável entrou em recuperação judicial. “Essas obras vão desafogar o trânsito na Avenida das Torres, principalmente nos horários de pico, que têm grande demanda de fluxo”, disse o presidente da Comec, Gilson Santos.

Trincheira
Trincheira da Avenida das Torres com a Rua Arapongas (Foto: Gilson Abreu/AEN)

PIÊN

A cidade de Piên vai receber o maior investimento do Governo do Estado do Paraná da sua história. Na terça-feira, dia 21 de setembro, Ratinho Júnior confirmou o repasse de R$ 14 milhões ao município, com recursos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas.

As ações incluem pavimentação de vias urbanas e rurais, a compra de um terreno para a instalação de indústrias, aquisição de máquinas e equipamentos rodoviários e para a elaboração do Cadastro Técnico Multifinalitário – o inventário territorial oficial do município.

“Piên recebe o maior pacote de obras de sua história, graças a essa parceria entre a Prefeitura e o Governo do Estado. Esses R$ 14 milhões em investimentos trazem uma melhoria para a gestão, com obras que fazem a diferença no dia a dia da população”, comentou o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega.

PIRAQUARA

Também na terça-feira, dia 21 de setembro, o governo estadual deu início ao processo de licitação para a construção de um novo terminal de passageiros em Piraquara. O investimento é de R$ 14 milhões, valor que pode ser reduzido conforme a concorrência dentro do processo de licitação.

A nova edificação terá 2.467,35 metros quadrados de área construída e será instalada em um terreno do Governo do Estado do Paraná com área total de 18.326,54 metros quadrados, no bairro Jardim Esmeralda, no cruzamento das avenidas São Roque e Brasília, próximo a um dos centros médicos de especialidades do município. O antigo complexo, com área total de 1.857 metros quadrados, dos quais apenas 610 de área coberta, passará a funcionar como um ponto de apoio para linhas alimentadoras.

Projeto do novo terminal de Piraquara (Imagem: Divulgação/Comec)

A cidade recebeu, ainda, mais suporte na área da saúde. Na quarta-feira, dia 22 de setembro, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, deu autorização para reformas e reparo no Hospital de Dermatologia Sanitária do Paraná, no valor de R$ 771,5 mil. Outros R$ 200 mil serão destinados para a contratação de novos profissionais.

O complexo médico conta com 21 consultórios, nove salas de curativos, sala de reabilitação, duas salas de pequenos procedimentos cirúrgicos e setores de apoio, e atende pacientes de 44 municípios. “Há um ano e meio não tínhamos praticamente nenhuma consulta no hospital. Não tínhamos ambulatório. Hoje esse espaço permite mais de 2.700 procedimentos por mês”, destacou Beto Preto.

ALMIRANTE TAMANDARÉ

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná publicou na quarta-feira, dia 22 de setembro, o edital para contratar a elaboração de projeto e execução da obra de duplicação de um novo trecho da rodovia dos Minérios (PR-092), desta vez no perímetro urbano de Almirante Tamandaré. O orçamento, pelo caráter da licitação, ainda é sigiloso.

A obra terá início no quilômetro 14,3, pouco antes da Avenida Colonial, e segue até o quilômetro 15,6, logo após o entroncamento com a Rua Lourenço Ângelo Buzato, em uma extensão total de 1 quilômetro e 280 metros. No entroncamento com a rodovia do Calcário (PR-509) está prevista uma nova interseção em desnível tipo diamante, com dois viadutos paralelos e duas rotatórias, além de uma alça exclusiva para o fluxo de trânsito entre Almirante Tamandaré e Curitiba, reduzindo os entrecruzamentos na via.

Foto: Jonathan Campos/AEN

A pista central do trecho será alargada para ambos os lados, com o pavimento atual sendo substituído por placas de concreto de cimento Portland de 28 centímetros de espessura, com vida útil de 20 anos. Serão duas pistas de rolamento de 3,60 metros cada em sentido, separadas por uma barreira central de concreto tipo New Jersey e acostamentos internos de 1 metro de largura, além de acostamentos externos de 2,50 metros de largura. Também estão previstas a implantação de vias marginais nos dois lados da rodovia, uma passarela, e passeios e ciclovias ao longo de todo o trecho duplicado.

MANDIRITUBA

Ratinho Júnior participou na quinta-feira, dia 23 de setembro, da entrega de títulos de propriedade para 82 famílias de Mandirituba. “Com a posse definitiva, as famílias passam a ser inseridas de fato na sociedade”, afirmou o presidente da Cohapar, Jorge Lange. O pacote de ações confirmado pelo governador incluiu, também, a liberação de R$ 16,27 milhões para a pavimentação de 64 vias urbanas e a aquisição de máquinas, além da autorização de licitação para pavimentação das ruas Geraldo Claudino e Wilson Selusniak, no valor de R$ 1,35 milhão. No total, o investimento estadual no município é de R$ 17,67 milhões.

CAMPINA GRANDE DO SUL

Já a vida de quem depende do transporte público para se locomover de Campina Grande do Sul a Curitiba passa a ficar mais fácil – e mais econômica – a partir deste sábado, dia 25 de setembro. A rede de transporte do município será integrada à capital paranaense pela linha Jardim Paulista – Fagundes Varela, que liga um dos bairros mais populosos da cidade metropolitana à Linha Verde.

A novidade é resultado de um novo convênio entre a Prefeitura de Curitiba e a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), que administra o transporte coletivo em 19 municípios. Com a integração, os passageiros que se deslocam entre os dois municípios passam a pagar apenas uma passagem para o trecho, reduzindo os custos pela metade.

Foto: Agência Estadual de Notícias do Paraná

CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA

Curitiba e Região Metropolitana também terão nos próximos anos uma nova reserva hídrica para suprir o abastecimento de água da região em momentos de estiagem e alavancar a preservação ambiental no Rio Iguaçu. A Reserva Hídrica do Futuro vai de Balsa Nova a Piraquara, interligando antigas cavas de exploração de areia nas margens do Iguaçu que possuam potencial para formação de lagos.

A área cria um corredor de biodiversidade e preservação de 150 quilômetros de extensão, que poderá reservar até 43 bilhões de litros de água para serem utilizados no abastecimento regional em situações emergenciais de estiagem – como a atual, que já se estende por quase dois anos.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui