Ligeirão Norte-Sul ganha primeiras estações-tubo remodeladas

401
Foto: Ricardo Marajó/Secretaria Municipal de Comunicação Social
Publicidade

As duas primeiras das 26 estações-tubo que serão remodeladas para servir de parada ao Ligeirão Norte-Sul foram concluídas e voltaram a receber passageiros nesta quarta-feira, dia 16 de junho de 2021. As estações Ouro Verde (nos dois sentidos), ficam na Avenida Winston Churchill, próximas à rua que leva o mesmo nome, no bairro Capão Raso.

As obras para o Ligeirão Norte-Sul vão da Praça do Japão, no Água Verde, até o Terminal do Pinheirinho. A requalificação das estações-tubo possibilitará a conclusão do roteiro do Ligeirão do Santa Cândida ao Pinheirinho, bastante aguardada pelos curitibanos.

A reabertura das estações Ouro Verde foi vistoriada pelo prefeito Rafael Greca, pelo secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues, e pelo presidente da Urbanização de Curitiba – empresa responsável pela gestão do sistema de transporte coletivo da capital -, Ogeny Pedro Maia Neto.

Publicidade

“A primeira estação-tubo desalinhada na Avenida Winston Churchill a gente nunca esquece. O desalinhamento permite o embarque e desembarque e a ultrapassagem dos ligeirões quando necessário. Entregamos hoje as estações Ouro Verde e, ainda este mês, entregaremos as estações Morretes, na Avenida República Argentina”, disse Rafael Greca.

Divididas em três lotes ao longo das avenidas República Argentina e Winston Churchill, as intervenções estão sob a supervisão da Secretaria Municipal de Obras Públicas e são executadas pela empresa Betacem e o consórcio Compasa – BR Infra Construções, vencedores da licitação que soma R$ 29,4 milhões. O objetivo é desalinhar as estações, implantar novo pavimento e novas calçadas e, em conjunto com a nova estrutura de transporte coletivo, também serão feitas ciclofaixas ao longo do eixo estrutural.

Durante a realização das obras, o sistema de transporte não foi paralisado. Para a operação da linha direta de biarticulados estão sendo feitas obras que a permitam a ultrapassagem nos dois sentidos das estações-tubo Petit Carneiro, Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch, Itajubá, Sebastião Paraná, Vital Brasil, Hospital do Trabalhador e Pedro Gusso no eixo da Avenida República Argentina. E, ainda, as estações José Clementino Bettega, Santa Regina e Ouro Verde – que já foi entregue, na Avenida Winston Churchill.

Enquanto o trabalho ainda estiver em andamento, os ônibus fazem desvio pela pista lenta do eixo estrutural.

Andamento das obras

De acordo com o secretário de Obras, o trabalho é executado por escalonamento e sem inviabilizar o uso de estações-tubo em sequência, o que prejudicaria os passageiros. Os serviços devem ser concluídos entre o fim deste ano e o início de 2022.

“Estamos com o trabalho em andamento nas estações Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch, Hospital do Trabalhador e José Clementino Bettega. Na medida em que são concluídas estas estações, iremos avançando para as próximas. No próximo mês também serão concluídos os serviços nas estações Dom Pedro I e José Clementino Bettega”, apontou Rodrigo Rodrigues.

Novas estações

O presidente da Urbanização de Curitiba destacou as inovações adotadas pelas novas estações Ouro Verde e que serão replicadas nos demais pontos de parada do transporte coletivo localizados nas avenidas República Argentina e Winston Churchill.

“As estações propiciam maior conforto térmico, são mais acessíveis – com elevadores e portas mais amplas e com toda a iluminação em LED. São estações novas e inovadoras”, explicou Ogeny Pedro Maia Neto.

Entre as inovações implementadas estão fechadura magnética para a porta de isenção, que confere robustez ao equipamento e maior controle de acesso. Ainda houve mudança do posto de trabalho visando proporcionar um vão de mais de 80 centímetros para a porta de isenção, atendendo a norma do vão mínimo para acesso de cadeirantes.

O conforto térmico no interior das novas estações são garantidos pelo forro isolante, vidros curvos com filtro solar e vidros do entorno do posto de trabalho com filtro solar e pintura reticulada para uma proteção extra ao cobrador.

Tempo de viagem

Segundo dados da Urbanização de Curitiba, pelo eixo Norte-Sul são transportados diariamente 350 mil passageiros. Durante a pandemia do novo coronavírus, esse número registrou uma queda de 44% e atualmente são 195 mil passageiros por dia a utilizar os ônibus que circulam no eixo.

Também de acordo com estimativas da Urbanização de Curitiba, a obra vai gerar uma economia de 16 minutos no trajeto entre o Terminal Santa Cândida e o Terminal Pinheirinho. Considerando que a velocidade do ônibus expresso, que para em todos os pontos do trecho norte-sul, é, em média, de 17 km/h, o tempo total da viagem com o Ligeirão será de 50 minutos. O tempo feito pelo ônibus parador é de 66 minutos. Outro fator positivo possibilitado pela obra é o ganho de 25,5% na velocidade média do Ligeirão.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

  1. – Sobre as novas estações tubo e a Acessibilidade da Pessoa com Deficiência:
    – A Associação de Proteção e Defesa da Acessibilidade da Pessoa com Deficiência já pedia que as portas de acesso ♿ focem conforme as Normas Técnicas Brasileiras NBRs 9050/2020!
    – Outro pedido era que se abandonassem as plataformas elevatórias/elevadores que além de poder causar acidente e estarem as vezes estragadas, onera o contribuinte em suas manutenções e sendo que para a Pessoa com Deficiência o ideal sempre foram as rampas. Acessibilidade para todos!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui