Prefeitura de Curitiba apoia plano estratégico de ferrovias do Paraná

72
Foto: Pedro Ribas/Secretaria Municipal de Comunicação Social
Publicidade

O prefeito Rafael Greca entregou, nesta segunda-feira, dia 4 de outubro de 2021, ao coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes, uma carta de apoio da administração municipal da capital ao desenvolvimento e à implementação, pelo Governo do Estado do Paraná, do projeto da Nova Ferroeste.

O novo corredor de transporte ferroviário de cargas, projetado pelo Governo do Estado do Paraná , poderá contribuir para que o governo federal oriente a construção dos contornos ferroviários ao leste e a oeste de Curitiba, na renovação da concessão do trecho em operação (hoje sob a responsabilidade da Rumo), retirando os trens de carga do trecho urbano da capital paranaense.

“É com grande alegria que vemos esse planejamento estratégico que poderá definir uma nova direção à mobilidade urbana de Curitiba. No momento em que as ferrovias saírem do traçado urbano da cidade teremos um novo horizonte”, disse o prefeito.

Publicidade

Em reunião no Palácio Solar 29 de Março, na tarde desta segunda-feira, Fagundes apresentou a Greca e ao presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur, o plano de infraestrutura ferroviária paranaense que se soma à intenção do Governo do Estado do Paraná de fazer do Paraná o hub logístico da América do Sul.

A Nova Ferroeste terá uma extensão de 1.304 quilômetros, ligando a cidade de Maracaju, no Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá, com um ramal a Foz do Iguaçu. Segundo o coordenador do Plano Estadual Ferroviário, os investimentos na obra somam R$ 33 bilhões, com estimativa de dez anos de execução.

No ofício de apoio, o prefeito de Curitiba destaca que a Nova Ferroeste irá contribuir para o fortalecimento da economia do Paraná, ampliando de maneira significativa a movimentação de bens e mercadorias, bem como a interligação da Grande Curitiba ao Mato Grosso do Sul, potencializando as relações econômicas da capital e dos municípios vizinhos nas esferas nacional e internacional, bem como melhorando a qualidade de vida dos cidadãos.

Contornos ferroviários

“O projeto cria uma porta de saída ao Ministério da Infraestrutura para retirar os trilhos da área urbana de Curitiba com os contornos”, disse o coordenador do Plano Estadual Ferroviário.

O presidente do Ippuc e secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur, ressaltou o empenho do prefeito Rafael Greca e da Prefeitura de Curitiba pela melhoria da mobilidade urbana, incluindo no esforço pela construção dos contornos ferroviários pelo governo federal.

“Já oficiamos o Ministério da Infraestrutura, a ANTT e o DNIT da importância da retirada dos trens de carga do trecho urbano e da utilização desta faixa de domínio para melhorar a mobilidade. O reforço do apoio do prefeito ao projeto estratégico de ferrovias do Governo do Paraná se soma a este processo”, observou Jamur.

O eixo ferroviário que passa por Curitiba é gerido por concessão federal à empresa Rumo. A definição pela construção dos contornos pode ser exigida pelo governo federal na renovação da concessão, prevista para 2027, mas que está em processo de antecipação, podendo ocorrer no próximo ano.

Foto: Pedro Ribas/Secretaria Municipal de Comunicação Social
Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui