Calçadas acessíveis estimulam a mobilidade ativa na cidade

438
Pátria
Revitalização da Rua Voluntários da Pátria no Centro de Curitiba (Foto: Daniel Castellano/SMCS)
Publicidade

Em breve Curitiba terá novas calçadas mais planas, seguras, humanizadas e acessíveis. Estão em fase final as obras de requalificação dos passeios nas ruas João Parolin (Prado Velho), Bley Zornig (Boqueirão), Major Heitor Guimarães (Campina do Siqueira) e Kellers (São Francisco), em um dos trechos onde acontece aos domingos a tradicional Feira de Artesanato do Largo da Ordem.

São mais de 2 mil metros quadrados de novas calçadas que vão valorizar os pedestres e incentivar a mobilidade ativa, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e do desenvolvimento sustentável na cidade. As obras integram o primeiro lote do projeto Caminhar Melhor, que prevê 100 km de acessibilidade nos passeios de ruas do centro e dos bairros, a partir do Programa de Mobilidade Urbana da cidade, idealizado pelo prefeito Rafael Greca.

Nas ruas Doutor Goulin (Juvevê) e Francisco Alves Guimarães (Cristo Rei) as obras de requalificação e acessibilidade das calçadas, a partir do projeto, já foram concluídas e estão beneficiando os que moram, trabalham ou circulam na região.

Publicidade

Além das obras em andamento pelo projeto Caminhar Melhor, há outras frentes da Prefeitura para priorização do pedestre e da mobilidade limpa por toda a cidade. São projetos coordenados pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e obras executadas sob a coordenação da Secretaria Municipal de Obras Públicas que somam R$ 180 milhões em investimentos, um amplo conjunto de intervenções da gestão Rafael Greca.

A mobilidade ativa, defende Greca, é uma ativadora do espaço público uma vez que, caminhando, as pessoas têm maior chance de ocupar esses locais.

“Estamos investindo em calçadas e calçadões acessíveis e humanitários, em espaço de valorização das pessoas. É a mobilidade ativa, um estímulo para que o cidadão seja o protagonista do movimento, que se aproxime dos espaços urbanos e seja mais sustentável”, diz o prefeito.

Caminhar Melhor

Com o projeto Caminhar Melhor, a Prefeitura reafirma a prioridade dada ao pedestre. O projeto contempla a valorização do espaço público, com a melhoria da paisagem urbana, da segurança nos deslocamentos e com a criação de novas conexões cicloviárias e de favorecimento a acessibilidade no ambiente urbano, ao caminhar.

Na Rua João Parolin as melhorias estão acontecendo numa extensão de 450 metros entre a Marechal Floriano Peixoto e a Francisco Nunes, no bairro Prado Velho.

No bairro Boqueirão, as calçadas estão sendo revitalizadas na Bley Zornig, nos 1.030 metros entre a Marechal Floriano Peixoto e a Willian Booth.

Passeio novo

Na região central, no bairro São Francisco, na Rua Kellers, são 225 metros de novas calçadas, entre as ruas Desembargador Ermelino de Leão e Martin Afonso.

Na Rua Major Heitor Guimarães, serão 409 metros de novas calçadas entre o Rio Barigui e a Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, no Campina do Siqueira. Na Rua Francisco Alves Guimarães, no bairro Cristo Rei, já foi concluído e alcançou 196 metros da via, no trecho entre as ruas Padre Germano Mayer e Zélia Moura dos Santos.

De acordo com o secretário municipal de Obras Públicas, o trabalho de requalificação e implantação de calçadas atende as determinações do prefeito Rafael Greca de fornecer as melhores condições possíveis aos pedestres e assim também incentivar as caminhadas, bem como acata os pedidos feitos pela população por meio da Central de Atendimento 156 e via programa Fala Curitiba.

Espaço Urbano

Outros projetos de mobilidade urbana contemplam os bairros e a região central. As vias compartilhadas, que estão em fase de implantação na Avenida República Argentina, são um exemplo. A intervenção na via para permitir a extensão do itinerário do Ligeirão Norte-Sul (BRT Sul), entre os terminais Santa Cândida e Pinheirinho, segue um planejamento de vanguarda. Novos passeios colocam o pedestre em primeiro plano no deslocamento com carros, bicicletas e motocicletas, priorizando o transporte coletivo em relação ao transporte individual.

Os projetos das estações Silva Jardim, no Água Verde, do entorno da Igreja do Portão e em breve, da estação Itajubá, no Novo Mundo, contam com ruas elevadas com mínima segregação de pistas que buscam, de forma inovadora, permitir a circulação livre de pedestres dando a eles prioridade em relação a veículos de passeio, bicicletas e motocicletas. Ao longo da rua os espaços são marcados por pisos com padrões de diferentes texturas e tamanhos, com preferência sempre ao pedestre.

Outros modelos já consolidados e que priorizam o modelo sustentável de mobilidade estão espalhados pela cidade, partindo do Calçadão da XV, no Centro, que foi o primeiro calçadão exclusivo para pedestres no país, implantado há 50 anos, até as novas e recentes calçadas, rampas de acessibilidade, ciclovia na Rua Eduardo Sprada, na CIC, implantada a partir da intervenção que garantiu novo traçado da via.

Novas calçadas na região da Cruz do Pilarzinho

Obras de correção geométrica realizadas para promover a melhoria viária na região da Cruz do Pilarzinho, no bairro Pilarzinho, garantiram maior segurança dos pedestres, com a requalificação das calçadas além da integração temporal do transporte público. As obras foram executadas nas ruas Hugo Simas, Raposo Tavares e Amauri Lange Silvério e seus arredores, tornando o bairro ponto de conexão com vários terminais, permitindo a passageiros de sete linhas de ônibus a troca de itinerário sem pagar uma nova passagem, usando o cartão-transporte.

As intervenções alcançam quase 800 metros executados em seis ruas que foram alargadas, pavimentadas e sinalizadas, receberam novas calçadas, infraestrutura de drenagem e iluminação. A região recebeu um conjunto de três pontos cobertos de ônibus que servem à integração temporal do transporte. A possibilidade dada ao passageiro para a troca de linhas, sem precisar pagar outra passagem, favorece também o comércio local.

Voluntários da Pátria

A Rua Voluntários da Pátria, revitalizada desde a Praça Osório até a Praça Rui Barbosa, foi transformada na primeira Rua Completa da capital paranaense, conceito aplicado a locais de convivência e de movimentação segura entre veículos, bicicletas e, principalmente pedestres, segundo a ONG WRI Brasil. A via que tem intenso fluxo de pedestres, foi elevada ao nível da calçada, que foi alargada para implantação de uma faixa de acessibilidade. Na outra parte da calçada, manteve preservado o piso original em petit-pavê (mosaico de pedras), com os tradicionais desenhos de rosáceas.

A requalificação da rua incluiu ainda nova tubulação de drenagem para evitar alagamentos, rede de esgoto, implantação de bancos, lixeiras, iluminação em LED com fiação subterrânea, pista de veículos em pedras para manter o trânsito mais amigável, faixas elevadas de travessias de pedestres e arborização.

Rua São Francisco

A reforma das calçadas realizada na Rua São Francisco, por meio do pacote de obras do programa Rosto da Cidade, que inclui uma série de reformas e revitalização no Centro Histórico de Curitiba, requalificou a passagem dos pedestres no trecho entre as ruas Barão do Serro Azul e Presidente Faria. As obras melhoraram a mobilidade, com implantação de faixa de acessibilidade, implantação de paraciclos que melhoraram a estrutura de pedestres e ciclistas que circulam por uma das regiões mais antigas da cidade.

Faixa acessível no Lago da Ordem

No Largo da Ordem, onde aos domingos acontece a tradicional feirinha de Curitiba (Feira do Largo da Ordem), a Prefeitura implantou uma faixa de acessibilidade de concreto, com 1,5 metro de largura para garantir acessibilidade de pessoas com mobilidade reduzida e cadeirantes. O circuito alcançado pela faixa de acessibilidade abrange trechos da Rua do Rosário até a Nestor de Castro; da Rua São Francisco (Doutor Claudino dos Santos) até a Rua do Rosário; Rua Mateus Leme até a Treze de Maio e da Rua Duque de Caxias até a Treze de Maio. No trecho da faixa acessível, implantado a partir do Programa Rosto da Cidade estão edificações históricas e importantes de Curitiba, como a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, Casa Hoffmann, Casa Romário Martins, o Memorial de Curitiba, a Casa da Memória.

Mobilidade Curitiba

Siga o Mobilidade Curitiba no Twitter e Instagram e fique informado sobre a mobilidade urbana de Curitiba e Região Metropolitana.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui