Técnicos esclarecem detalhes do edital da nova estação do Inter 2 em evento virtual

203
Novo Inter 2
Novo Inter 2 irá operar em estações modernas (em substituição das atuais estações-tubo) climatizadas e autossustentáveis, sendo cada unidade equipada com placas fotovoltaicas na cobertura, como prismas solares
Publicidade

As principais exigências do edital da Estação Prisma Solar Agrárias – modelo protótipo – foram esclarecidas no webinar Inovação no Transporte Coletivo de Curitiba, realizado pela Prefeitura de Curitiba em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), nesta terça-feira (26/04). Com transmissão simultânea no canal do YouTube da Prefeitura, o evento virtual reuniu representantes de empresas das áreas de engenharia civil, tecnologia e mobilidade.

A reunião foi mediada pelo coordenador geral da Unidade Técnico Administrativa de Gerenciamento (Utag) , Paulo Socher. O representante do BID no Brasil, Morgan Doyle, e o arquiteto Ricardo Bindo, assessor da presidência do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc), fizeram a abertura, destacando a inovação como premissa para a modernização do sistema de transporte coletivo de Curitiba.

“Criar um novo ambiente, com conectividade e conforto e demais tecnologias para valorizar a experiência do usuário, deve estimular os cidadãos a adotarem cada vez mais o transporte público e combater as emissões de poluentes”, disse Bindo.

Publicidade

Doyle relembrou a parceria entre o BID e Curitiba no lançamento das estações-tubo, há 30 anos. “Desde então, acompanhamos a evolução da cidade na vanguarda do transporte coletivo. E agora vamos dar um novo passo significativo, com avanços importantes para a sustentabilidade, inclusão social e de gênero, temas centrais para o BID”, disse.

A nova estação do Inter 2 é a primeira licitação do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Curitiba, que tem parte dos recursos – US$ 106 milhões – financiados pelo BID. O edital, de abrangência internacional, prevê a entrega do projeto executivo, a implantação da obra e a operação assistida por seis meses.

A empresa vencedora ainda será responsável pelos projetos executivos de outras 11 estações do itinerário do Inter 2, para as futuras licitações. Todo esse pacote tem o preço máximo de R$ 4,6 milhões. O edital segue o modelo design building do BID, em que serão avaliados técnica e preço.

O engenheiro civil Marcio Teixeira, diretor técnico da Utag, detalhou as exigências do edital, com aplicações de soluções tecnológicas que permitam a manutenção e gestão remota da operação, como bilhetagem eletrônica, climatização e autossuficiência energética, com uso de energia solar. “O modelo arquitetônico deve ser fiel ao anteprojeto do Ippuc. As inovações de operação, infraestrutura, experiência do usuário e sustentabilidade são as complementações necessárias para a nova fase do transporte coletivo da cidade”, explicou.

Estações-tubo

Entre as dúvidas dos participantes, houve o questionamento sobre a mudança de modelo arquitetônico da parada de ônibus na linha. As estações-tubo, marco no sistema de transporte coletivo da cidade, não serão alteradas em outras linhas, somente no trajeto do Inter 2.

“O modelo prisma será um salto na inovação do sistema para o uso da eletromobilidade. No futuro, soluções tecnológicas aprovadas na rota da Prisma Solar poderão ser aplicadas nas estações-tubo, principalmente nas questões de sustentabilidade”, esclarece o arquiteto Fabiano Losso, um dos autores do projeto.

A Prefeitura recebe as propostas da Estação Prisma Solar até o dia 18 de maio. Os envelopes devem ser entregues até às 11h no setor de protocolo do Ippuc, situado à Rua Bom Jesus, 669. A comissão de licitação abre os envelopes no mesmo dia, às 15h.

Mais informações sobre o edital pode ser solicitadas pelo email utag@ippuc.org.br ou pelo telefone (41) 3250-1436.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui