Saiba como funciona o serviço de guincho

O serviço de guincho da Superintendência de Trânsito tem comunicação direta com o sistema da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, da Polícia Civil. Antes de o guincho remover um veículo estacionado em lugar irregular, é verificado se o carro tem algum alerta de furto.

Em caso positivo, o veículo não é removido e a polícia é chamada. O diretor de Fiscalização da Superintendência de Trânsito, Wagnelson de Oliveira, explica que a primeira providência a ser tomada quando alguém tem o carro furtado ou roubado é fazer um boletim de ocorrência na polícia.

“O boletim de ocorrência é a garantia para o cidadão não ter futuros incômodos com taxas. Se um veículo é levado pelo guincho e o boletim comprovar que ele foi furtado, o proprietário não precisará pagar pelo serviço de remoção e pela estadia no pátio da Setran”, explicou Wagnelson de Oliveira.

Como funciona

O serviço de guincho da Superintendência de Trânsito voltou a operar em março de 2018. No ano passado, foram feitas 4.654 remoções de veículos irregulares – 1.706 em blitze da Superintendência de Trânsito. Também foram removidas 95 caçambas irregulares.

Neste ano, o serviço de guincho já removeu 1.865 veículos, sendo que 677 foram em blitze. Também foram retiradas cinco caçambas irregulares das ruas.

Serviço de guincho em Curitiba
Foto: Pedro Ribas/Secretaria Municipal da Comunicação Social

Os veículos são guinchados quando estão estacionados em desacordo com a legislação de trânsito ou abandonados nas ruas. Na remoção, agentes da Superintendência de Trânsito colocam um adesivo amarelo no local com informações sobre a marca e modelo do veículo, além dos contatos para o dono regularizar a situação.

Carros, caminhões, ônibus e motos estacionados em local proibido ou em desacordo com a legislação podem ser removidos pelo guincho. Veículos abandonados em local público há mais de 30 dias, que apresentem visível mau estado de conservação ou estejam vandalizados, também são passíveis de remoção.

Valores

A remoção dos veículos e a estadia no pátio da Superintendência de Trânsito têm custos para os proprietários. A remoção de motos pelo guincho custa R$ 118,93 e a diária no pátio é de R$ 25,38. Carros de até 3,5 toneladas têm custo de R$ 232,18 a remoção e diária no pátio de R$ 43,41.

Veículos acima de 3,5 toneladas custam R$ 281,47 a remoção e R$ 55,96 a diária no pátio. Para caminhões e ônibus, os valores são R$ 471,84 a remoção e R$ 83,51 a diária no pátio.

Se o proprietário não regularizar a situação, após 90 dias no pátio o veículo vai a leilão. O valor arrecadado é usado para abater a dívida de multas, tributos e encargos legais que eventualmente o veículo tenha. Se sobrar algum recurso, o valor será depositado na conta do ex-proprietário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.