Mais de 1 milhão de passagens já foram pagas com cartão de débito e crédito no transporte coletivo

1454
Foto: Daniel Castellano/SMCS
Publicidade

O pagamento de passagens de ônibus com cartões de crédito e débito e outros dispositivos por aproximação ganhou a adesão dos usuários do transporte coletivo. Entre 18 de março, quando entrou em vigor, até 30 de junho, 1,142 milhão de passagens foram pagas usando essa funcionalidade.

O número de passagens pagas com débito/crédito vem crescendo mês a mês. Em junho, foram 501,3 mil pagamentos na modalidade, 32% mais do que em maio.

Essa forma de pagamento já representa 4,35% do total de passagens pagas (dinheiro, cartão-transporte e cartões de débito e crédito).

Publicidade

Neste ritmo, a previsão é que a participação da modalidade por aproximação no total de pagamentos com cartão chegue a 10% do total, segundo o presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto.

“A nova funcionalidade traz praticidade, comodidade e mais segurança para o usuário, já que reduz a circulação de dinheiro. Essa é ainda uma opção de pagamento muito interessante para pessoas que utilizam esporadicamente o transporte coletivo, que não possuem o cartão-transporte, e também para turistas”, diz. Todas as 254 linhas de ônibus da capital, além dos terminais e das 335 estações-tubo da cidade aceitam essa funcionalidade.

Como funciona

A passagem é paga com cartões e celulares que utilizam a tecnologia sem contato (contactless), sem necessidade de digitar senha. O usuário precisa, obrigatoriamente, ter um cartão de débito ou crédito que possua a tecnologia por aproximação (NFC) – na qual basta encostá-lo no validador para efetuar o pagamento.

Os cartões que usam a tecnologia contactless possuem um símbolo de transmissão que lembra o símbolo do wi-fi, só que deitado. É necessário verificar junto ao banco se a função está habilitada. O valor cobrado aparecerá na fatura ou no extrato da conta corrente do usuário.

Bandeiras

O sistema aceita pagamento com as bandeiras Visa, Mastercard e Elo. O valor da passagem é mesmo cobrado em dinheiro e cartão-transporte (R$ 5,50), mais a taxa que o usuário pagará à operadora, de 2,07% (R$ 0,12) por bilhete. A cobrança da taxa está prevista na lei federal 13.455/2017.

O usuário poderá pagar até três passagens por viagem/validador, com o intervalo de 15 minutos para a próxima compra. O preço da passagem de R$ 5,50 (mais a taxa de conveniência) nos cartões de crédito e débito vale para todos os horários e linhas.

O pagamento permite, assim como o dinheiro e o cartão-transporte, a integração com demais linhas em terminais e estações-tubo, sem ter necessidade de pagar mais uma passagem.

Celular

Para pagamento por telefone celular, o usuário precisa verificar se o seu aparelho está habilitado para a tecnologia NFC. Caso esteja, é necessário que cadastre o seu cartão em uma carteira digital, como Apple Pay, Google Pay ou Samsung Pay.

Relógios inteligentes (smartwatches), como Apple Watch, Samsung Gear e semelhantes, também podem ser usados nos validadores, assim como as pulseiras com chip (smartbrands). Saiba mais aqui.

Mobilidade Curitiba

Siga o Mobilidade Curitiba no Twitter e Instagram e fique informado sobre a mobilidade urbana de Curitiba e Região Metropolitana.

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui