Câmara Municipal de Curitiba aprova investimentos no Ligeirão Leste-Oeste

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou em plenário, nesta segunda-feira, dia 29 de junho de 2020, a contratação de empréstimo de US$ 75 milhões, pela Prefeitura de Curitiba, junto ao New Development Bank, o banco dos BRICS.

Os investimentos serão para as obras de infraestrutura à operação do Ligeirão no Corredor Metropolitano Leste-Oeste (Pinhais – Campo Comprido) e Eixo Sul. O financiamento externo à Prefeitura de Curitiba já conta com parecer favorável da Comissão de Financiamentos Externos, do Ministério da Economia, com autorização em trâmite em âmbito federal.

O empréstimo se soma ainda a US$ 18,75 milhões em contrapartidas do município, resultando em US$ 93,75 milhões (R$ 512 milhões com a cotação do dólar a R$ 5,47, em 29 de junho) destinados a melhorias do transporte público.

Ligeirão
Imagem: Divulgação

De acordo com a Nota Técnica número 1 de 2020 da Assessoria Especial do Ministério do Desenvolvimento Regional, cerca de 24 mil empregos, diretos, indiretos e induzidos, serão gerados com os investimentos do Programa Mobilidade Sustentável de Curitiba – Projeto Aumento da Capacidade e Velocidade do BRT do Eixo Leste-Oeste e Sul.

O levantamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, feito com base em estudos da Fundação Getúlio Vargas e em dados do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, tem como referência empregos gerados a cada R$ 1 milhão investidos em ações relacionadas empreendimentos que envolvem a construção civil.

Intervenções

O Ligeirão Leste-Oeste deverá reduzir em até 23 minutos o tempo de deslocamento dos passageiros naquele eixo. Entre as obras previstas no trecho desde a cidade de Pinhais ao terminal Campo Comprido, estão a reforma e ampliação de 32 pontos de parada existentes, além da reestruturação viária de aproximadamente 22,5 quilômetros de canaletas exclusivas e de 7,5 quilômetros de vias complementares ao sistema de transporte.

Nesse itinerário serão implantados 44,8 quilômetros de ciclofaixas e 66 paraciclos. Com a implantação da estrutura de ultrapassagem entre as linhas, a operação do eixo será dividida em linhas “paradoras”, que farão paradas em 34 estações e cinco terminais ao longo do eixo (com distância média entre as paradas de 500 metros); e a Linha Direta Ligeirão, que fará paradas nos cinco terminais de integração e nas estações de maior atratividade do sistema (com distância média entre as paradas entre 2 km e 3 km).

Ligeirão
Imagem: Divulgação
Ligeirão
Imagem: Divulgação

O projeto prevê a revitalização de obras complementares ao sistema de transporte, como a restruturação viária de 7 quilômetros no binário das Olga Balster e Nivaldo Braga e do entorno do Terminal Capão da Imbuia.

Ainda para o Corredor Leste-Oeste, estão previstas a implantação de três estações de transporte, a reforma do Terminal de integração Centenário e Vila Oficinas e a reconstrução dos terminais Capão da Imbuia e Campina do Siqueira.

Contrapartidas

Para a finalização do Ligeirão Sul, que hoje opera no trecho desde o Santa Cândida, ao norte, à Praça do Japão, serão feitas melhorias em 13 pontos de parada existentes no itinerário ao sul, além da reestruturação viária de aproximadamente 4 quilômetros de canaletas exclusivas.

As intervenções incluem ainda implantação de aproximadamente 15,6 quilômetros de ciclofaixas e de 26 paraciclos. As obras no trecho sul farão parte da contrapartida do município ao empréstimo do Novo Banco de Desenvolvimento. Com o Ligeirão Norte-Sul operando em sua totalidade, o passageiro terá redução do tempo de deslocamento em 26%.

Mobilidade Curitiba

A redação do Mobilidade Curitiba é responsável pela produção de conteúdo sobre a mobilidade urbana de Curitiba e Região Metropolitana. Deseja entrar em contato conosco para enviar informações, sugestões de pauta ou anunciar? Envie um e-mail para contato@mobilidadecuritiba.com.br ou envie uma mensagem para o nosso Whatsapp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.