Prefeitura de Curitiba apresenta Plano de Estrutura Cicloviária

A Prefeitura de Curitiba instituiu nesta sexta-feira, dia 1º de novembro, em solenidade no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, o Plano de Estrutura Cicloviária, que estabelece metas para dobrar a malha de vias para bicicletas na cidade até 2025. A malha hoje é de 208 quilômetros e a intenção é chegar a 408 quilômetros.

Definida pelo Decreto Municipal 1418 de 2019, a medida também estabelece as competências sobre gestão e implantação do plano. No ato de sua criação, o plano já passou a contar com o primeiro trecho do eixo cicloviário Intercampi, nova estrutura para a ligação do campus de Comunicação e Artes ao campus de Agrárias da Universidade Federal do Paraná.

O evento reuniu vereadores, representantes de entidades ligadas à ciclomobilidade, como a Federação Paranaense de Ciclismo e a Cicloiguaçu, da Universidade Federal do Paraná e técnicos que participaram da elaboração do plano.

Para o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, Luiz Fernando Jamur, a instituição do plano que valoriza a ciclomobilidade é um marco de um processo de construção compartilhada. “É um movimento para que a sociedade se insira neste processo. O Plano de Estrutura Cicloviária mostra a importância deste modal para a nossa cidade”, frisou.

O presidente da Federação Paranaense de Ciclismo, Eduardo Pereira, também valorizou o plano como uma forma de promoção do deslocamento por bicicleta.

“Onde cabe um carro, cabem quatro bicicletas. O plano vem a calhar no processo de melhoria da ciclomobilidade. Agradecemos ao prefeito por pensar nos ciclistas”, disse Eduardo Pereira.

Também estiveram no evento os vereadores Maria Letícia e Bruno Pessuti, a diretora do setor de Artes, Comunicação e Design da Universidade Federal do Paraná, Regiane Ribeiro e o coordenador geral da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu, Fernando Rosenbaum.

Plano Cicloviário
Foto: Daniel Castellano/Secretaria de Comunicação Social
Eixo Intercampi

Em implantação, o eixo Intercampi, nova estrutura para o trânsito de bicicletas na região do Juvevê e Cabral, terá 3,4 quilômetros de extensão. Vai formar uma rede com ligação à ciclofaixa da Avenida João Gualberto, ao Terminal Cabral e até a estrutura existente da Rua Flávio Dalegrave, na marginal da linha férrea.

No roteiro da ligação cicloviária entre os campi da Universidade Federal do Paraná há diferentes tipologias de estrutura em implantação. Nas proximidades do campus de Comunicação e Artes são ciclofaixas bidirecionais em trechos das ruas Manoel Eufrásio e Recife, mais um trecho de passeio compartilhado na Rua Almirante Tamandaré.

O itinerário segue com ciclofaixa na Rua Arthur Loyola e ciclorrotas em trechos das ruas Chichorro Júnior, João David Perneta, João Américo de Oliveira e Fernandes de Barros, no entorno do campus de Agrárias.

O Plano de Estrutura Cicloviária, em desenvolvimento pela Prefeitura de Curitiba, prevê um sistema integrado por laços de conexão (que ligam os setores não contemplados com estrutura para bicicletas à estrutura existente mais próxima) favorecendo à intermodalidade ou multimodalidade de transporte.

Já implantados

Nesta primeira fase do Plano de Estrutura Cicloviária a implantação chegará a 13,4 quilômetros. Deles, já estão implantados 3,1 quilômetros na Avenida Manoel Ribas; 2,6 quilômetros na Avenida da Integração; 1,7 quilômetro no binário Nova Aurora – Ourizona.

Também há 3,4 quilômetros em implantação na ligação Intercampi da Universidade Federal do Paraná, somada à estrutura já concluída com 2,6 quilômetros em trechos das ruas Konrad Adenauer, Dante Angelote e José Zgoda, no entorno do Jockey Plaza Shopping, no Tarumã.

Eixo Leste-Oeste

Ainda estão previstas para esta primeira fase, a ser implantada ao longo deste ano e do ano que vem, 10,5 quilômetros de estrutura cicloviária na ligação do Setor Estrutural Oeste, passando pelas ruas Visconde de Nácar, Professor Fernando Moreira, Padre Anchieta e Deputado Heitor de Alencar Furtado.

Além deles, mais 7,5 quilômetros na Avenida Nossa Senhora de Lourdes e ruas João Doetzer e Leônidas Marques, na região do Jardim das Américas e Cajuru, próximo ao Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná.

Eixo Sul

Mais 5,8 quilômetros da Praça do Japão ao Fazendinha, pelo eixo da Avenida República Argentina, e outros 7,7 quilômetros no eixo da Avenida Winston Churchill, Rua Ricardo Gasparian Machado e Rua dos Pioneiros, na região do Pinheirinho. Serão também implantadas estruturas nas ruas Waldemar Loureiro de Campos, Rua Júlio Eduardo Gineste e Linha Verde.

Cidade Industrial de Curitiba

Na Cidade Industrial de Curitiba, está prevista a ativação de uma malha com 15,5 quilômetros de estrutura cicloviária. Ela fará a conexão da área industrial à comunidade da Vila Nossa Senhora da Luz, Caiuá, Sabará, Vila Verde, Vitória Régia, até as proximidades da empresa Volvo.

Com os trechos implantados e em implantação Curitiba alcança 221,4 quilômetros de estrutura cicloviária. Ao seu final, o Plano de Estrutura Cicloviária deverá praticamente dobrar malha voltada à circulação de bicicletas na cidade até o ano de 2025.

Mobilidade Curitiba

A redação do Mobilidade Curitiba é responsável pela produção de conteúdo sobre a mobilidade urbana de Curitiba e Região Metropolitana. Deseja entrar em contato conosco para enviar informações, sugestões de pauta ou anunciar? Envie um e-mail para contato@mobilidadecuritiba.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.